ALMAR Assoc. Cívica de Almada

Amigos, ainda dispomos de alguns lugares para a Gala de hoje. A partir das 19;00 estaremos lá à vossa espera e aconselhamos, a quem ainda não pagou, a utilização de notas de 5€ para tornar o pagamento mais fácil e rápido. 

Obrigado e até logo.

 

 

Gala ALMAR 2014

Dia 7 de Novembro, a partir das 19,00h, o Cristo Rei está lá de braços abertos para nos receber, mas quem se irá abraçar serão grandes, velhas e distantes amizades, até amigos vindos de outros continentes, na Tenda Panorâmica do Cristo Rei. 
É a Gala 2014 da Almar com a atribuição de 6 Troféus de Prestígio Almar a 6 personagens que se destacam ou destacaram na história da nossa região e que bem comprovam o valor das gentes de Almada. 
Graças a este evento reagrupou-se uma equipa de velhas glórias de Almada, músicos de rock do início dos anos 70 que ainda podem mostrar a sua arte - os SMOOTH. E porque são amigos e daqueles bem conhecidos por espectáculos na Incrível Almadense, no velho Ginásio de Cacilhas, bem como noutras tantas belas salas da nossa região, reservamos a surpresa da sua formação para dia 7 de Novembro.
Vem e traz outros amigos também!

 


ANTÓNIO MANUEL RIBEIRO

António Manuel Ribeiro Alves nasceu em Almada no dia  de agosto de 1954. É um poeta, músico, cantor e líder da banda de rock português UHF. ‎ Compositor da grande maioria dos temas editados quer a solo quer com a banda, abraçou os livros e as canções com a sua poesia.

Tornou-se num dos melhores Poetas Rock, sendo o fundador deste movimento em Portugal.

Estudou no liceu em Almada, tendo sido sempre considerado um aluno exemplar. Após terminar o 5º ano do liceu (actual 9º ano) teve de escolher se desejava seguir a área de letras ou ciências, tendo optado por ciências por influência de seu pai. Continuou os estudos no liceu D. João de Castro em arquitetura, mas a literatura, a poesia e os originais que ia escrevendo levaram a mudar-se para letras, apesar do seu jeito para o desenho. Aproveitando a sua vocação artística, constrói a sua primeira guitarra no início da adolescência.

A determinação para a música levou António Manuel Ribeiro, em 1977, a formar uma banda de covers  (Purple Legion, imagem abaixo), realizando alguns concertos no circuito de bailes.

Entrou na faculdade de Direito em 1976 onde esteve pouco tempo, transferindo-se para Filosofia Romântica. Foi aluno de Urbano Tavares Rodrigues.

 

Conseguiu um estágio no jornal Record onde permaneceu até 1980. Durante estes anos conciliou o estágio profissional com a pintura e os concertos que ia dando nos bares da grande Lisboa com a sua banda, mas ainda sem editora. Forçado a abandonar os estudos pelo nascimento do seu primeiro filho passa a trabalhar na Câmara Municipal de Almada, abdicando de parte dos planos que tinha traçado.

 

Vivia-se uma grave crise social e financeira no início da década de 1980 e o Fundo Monetário Internacional (FMI) «piscava o olho» a Portugal. A instabilidade social de um pais que teimava em não atualizar-se levavam a gritos de revolta muitas vezes expressos na música. Passou brevemente pela política como independente e humanista, mas cedo apercebeu-se do deserto das ideias de quem gere os partidos.

Com Carlos Peres e Renato Gomes construiram a solidez de uma banda que acabaria por se afirmar com pujança no panorama do rock em Portugal. Realizam o primeiro concerto no Bar É em Lisboa no início do mês de novembro de 1978. Seguem-se vários concertos, primeiro na grande Lisboa e depois ao longo do país.

A corrida do rock cantado em português foi lançada e os UHF com os seus "Cavalos" abriram o caminho.

É produtor discográfico dos trabalhos da própria banda UHF e de outras, caso do álbum No Sul da Europa de 1982 dos Opinião Pública.

Em 1998 fundou a sua própria produtora musical AM.RA Discos. Ao longo dos anos, António Manuel Ribeiro, contribuiu para jornais e rádios escrevendo crónicas. Apaixonado pela rádio, foi autor de programas e ajudou a fundar duas rádios «piratas».

Desde 2002 participa, semanalmente, com temas de opinião no semanário digital "Setubalnarede".

 


 

 


JOÃO LIMA   -   OqueStrada

"Não queremos ser os vossos ratings de laboratório. Prevaleça nem que seja a última arma de arremesso. Se não for com pedras que seja com uma guitarra. Se não for com armas que seja com as mãos. Se não for com as mãos que seja com as unhas. A música deve povoar as ruas e não uma qualquer ditadura. Venham os artistas e os que não o são. O lobo anda vestido de cordeiro outra vez e já não há casa que nos valha. Vamos a eles!  "

João Lima | recolha, sonoplastia, edição, 3D, interpretação ao vivo, guitarra electrónica portuguesa


João Lima, arquitecto e músico, é um dos membros fundadores do grupo OqueStrada, participa regularmente em projectos performativos, nomeadamente com a coreógrafa Margarida Mestre e mantém uma actividade a solo com a guitarra portuguesa como instrumento de eleição, trazendo-a para cenários inovadores.

É com orgulho que a Almar homenageia este polivalente almadense que também é um grande comunicador e que nos transmite sempre ideiais de força e esperança.

http://www.oquestrada.com/pt/  

www.youtube.com/watch?v=r-BkBFbwNmQ

www.youtube.com/watch?v=iSO3GWKOrC8